Fraudador, o perfil.

22-08-2011 12:28

17/8/2011 - Monitor Mercantil

Fraudador, o perfil

Por: Marcos Oliveira e Sergio Souto


Homem, com 36 a 45 anos e mais de dez anos de empresa e com cargo gerencial sênior, na área de finanças ou em setor ligado a ela. Esse é o perfil médio do fraudador empresarial, segundo pesquisa Who is the typical fraudster? (Quem é o fraudador típico?, em português) da consultoria KPMG baseada em 348 investigações de fraudes em 69 países. A análise constatou, ainda, que o fraudador, em geral, age em conluio com outros funcionários.

Cortar e pagar mais

Em relação, à pesquisa anterior, o número dos casos dessa natureza saltou de 49% do total para 74% em 2011, com os fraudadores aproveitando-se de fragilidades nos sistemas de controles internos das empresas para praticar mais desvios.. De acordo com a KPMG, grande parte do aumento dos casos deveu-se aos cortes de custos adotados pelas corporações depois do estouro da crise internacional em 2008. Ou seja, assim, como na administração pública, políticas de cortes de gastos podem provocar perdas ainda maiores do que o dinheiro poupado.

Barato sai caro

O estudo mostra ainda que 56% dos casos foram precedidos de avisos prévios de que as empresas corriam risco de serem fraudadas. "Investir em sistemas de controle, inteligência e prevenção é o melhor caminho para que as empresas evitem ser fraudadas. Em geral, preparar-se para se precaver é muito mais barato e seguro do que tentar remediar problemas com fraudes", afirma Werner Scharrer, sócio da área de Forensic Services da KPMG no Brasil.