ABSURDO!!! PM aposentado que realiza guarda partimonial do Fórum tenta assaltar prédio da Justica

01-06-2012 10:40

 





Policial é acusado de liderar quadrilha que invadiu fórum


O cabo PM aposentado, Luciano de Lara, 55, está sendo acusado de envolvimento com 4 bandidos que invadiram o Fórum de Cuiabá entre a noite de quinta-feira e madrugada desta sexta-feira (25), 2 deles usando farda da Polícia Militar. Pesa contra o policial, a acusação de chefiar a quadrilha que invadiu o local com intuito de arrombar o caixa eletrônico ali instalado. Quem o acusa é o ajudante de pedreiro Elizeu da Silva, 24, um dos criminosos que trocaram tiros com os policiais no local e acabou baleado.

Ele foi preso no mesmo dia e além de confessar participação do crime acusou o PM.

Conforme Elizeu revelou à Polícia, o cabo aposentado, mas que retornou as funções como guarda patrimonial do Fórum, teria reunido a quadrilha e passado detalhes sobre o local bem como deveriam agir no momento da ação criminosa. Acontece, que outro policial que não sabia do esquema também estava de plantão naquela noite e reagiu contra os criminosos. Houve troca de tiros e pelo menos Elizeu ficou baleado, mas conseguiu fugir com os comparsas no veículo utilizado para o crime.

Diante da reação, os bandidos deixaram cair 2 revólveres calibre 38 com 4 munições deflagradas durante o tiroteio e conseguiram fugir. Para se aproximar dos 2 PMs que faziam a guarda do lado de fora do prédio, o bando utilizou os elementos fardados com um papel. Eles fingiram que queriam alguma informação e, enquanto um dos PMs se aproximava, anunciaram o assalto. No momento da ação outros 2 policiais estavam na parte interna do edifício. À imprensa o cabo Lara chegou a conceder entrevista e relatar como o assalto aconteceu dizendo que trocou tiros com os bandidos que fugiram em seguida com um deles baleado.

Na manhã deste sábado a Polícia Militar realizou diligências para localizar o cabo Lara, nas não obteve sucesso. As denúncias serão apuradas pela Polícia Civil e a PM também vai acompanhar o caso e se confirmar as acusações a Corregedoria Geral da instituição vai tomar todas as providências cabíveis no caso contra o policial.

Fonte: Gazeta Digital